Quer participar do melhor curso de sociologia da internet?

Essas dicas servem para professores de áreas distintas como uma diretriz do que pode ser feito logo na primeira aula e que pode melhorar a comunicação com os alunos e ainda facilitar na elaboração das aulas.

A orientação formal que recebemos dos livros didáticos disponíveis nas escolas públicas nos orienta à uma breve apresentação de nós mesmos, respeito aos indivíduos diante de nós e partirmos para introdução à disciplina.

É claro que não deixaremos de lado, explicar o advento da sociologia aos alunos de primeiro ano do ensino médio, afinal eles ainda não fazem ideia do que essa nova disciplina pode ou não lhes agregar valor. Mas antes mesmo que possamos iniciar o conteúdo científico, precisamos nos atentar à quem são esses indivíduos?

Esqueça o quanto essa pergunta pode parecer óbvia porque você é professor na mesma escola desde 1973.
Esqueça os problemas estruturais se você faz parte da rede pública de ensino.
Essas questões podemos falar em um outro post.
O fato é que precisamos compreender que o ambiente e público da escola pública mudou muito e precisamos nos adaptar, já que a estrutura burocrática não o faz.
Esse público heterogêneo possui dificuldades e problemas individuais muito distintos e precisamos nos atentar da melhor maneira possível compreender, acolher e somarmos.

O maior objetivo de aplicar essa estratégia na primeira aula é encontrar um ponto de convergência entre o que precisamos ensinar de conteúdos e habilidades específicos da disciplina, o que realmente interessa à realidade social dos alunos e o que por fim condiz com o plano pedagógico da instituição.

Como fazer?

Começar se apresentando pode ser sim o primeiro passo, é preciso apenas tomar cuidado para que não gere um desnível de comunicação, demonstrar conhecimento não é contar vantagens.

Para uma comunio melhor e mais completo curso de sociologia onlinecação horizontal, lembre-se dos passos que o fizeram trilhar esse caminho, seja sincero e sempre aberto.

O segundo passo é ouvir, sim cada aluno, seus desejos, anseios, dificuldades, medo, etc…
Bom, já deu pra imaginar muitos leitores reclamando ser impossível fazer isso em uma sala com tantos alunos ou em determinados públicos.

O que você precisa é focar sempre em seu objetivo, que já falamos anteriormente. Cada um vai elaborar um método diferente para ouvir coisas que podem ser relevantes à sua disciplina e turma. Não existe regra absoluta aqui, seja criativo!

Por fim, registre tudo isso, afinal você precisará de tempo para analisar e desenvolver um método de como utilizar todas essas informações ao longo de suas aulas.

Estudo de caso

Se ainda não acreditam, vamos ao estudo de caso.

Em uma escola da rede estadual paulista, tínhamos um “sério problema” segundo muitos docentes e gestão. O uso indevido de smartphones em sala de aula e que estava atrelado à uma segunda questão, desinteresse.

Já ouviu falar de uma escola assim? É bem possível que o caso soe familiar à muitos.

Pensando em salas de mais de 40 alunos, nossa aula com 50 minutos, como é possível aplicar o método anterior?

Fiz então uma breve apresentação de mim, falando sobre formação, experiências e interesses pessoais.
Falei também sobre o que é sociologia (claro, apenas algumas pinceladas de algo que vamos nos aprofundar nas próximas aulas), levando em consideração algumas questões:

– O que é a sociologia?
– Porque ter essa disciplina na escola?
– Qual a proposta do estado?
– Sobre o que vamos falar?

Feito isso pedi uma atividade, explicando a importância dela para a lógica que descrevo aqui.
Cada aluno deveria responder algumas questões e entregar para que tivesse o registro de informações relevantes para trabalhar.
As perguntas foram:

O que você gostaria de adquirir ou aprimorar (seja de conhecimento ou habilidade) ao longo desse ano?

Como você espera estar em um prazo de 5 anos?

Qual o papel da escola nesse plano?

Cite 3 aplicativos que mais utiliza.

Perceba que apenas uma das perguntas fazia referência à vida escolar, todas as outras eram questões pessoais que poderiam ser trazidas para nosso planejamento e didática.

Dessa forma foi possível elaborar projetos que não iam contra o avanço tecnológico, mas que faríamos uso da tecnologia em sala de aula de maneira crítica e criativa.

Você pode conferir alguns projetos aqui.

Além disso, era muito mais fácil identificar os problemas de aprendizagem entendendo a realidade social dos mesmos e dessa maneira fazer um discurso que condiz e instigar a participação.

Sim, é possível ser criativo de formas muito simples.

O que tem feito em sua primeira aula?

Planejamento estratégico digital, coach digital, melhor escritório de arquitetura e design de interiores sjc, Melhor loja de acessórios femininos, sociologia da educação, arquiteta em são josé dos campos, Coach fitness